Os gastos excessivos com a monarquia foram proporcionais à renda oriunda de tributos pagos pela povo de Israel e pelos reinos conquistados pelo rei Davi: “E era o peso do ouro, que vinha em um ano a Salomão, de 666 talentos de ouro” (2 Cronicas 9:13)

Quando o juiz Samuel escreveu o livro de Juízes, ele observou que o povo de Israel não cumpriu a ordem de expulsar os povos cananeus para fora de sua herança, após o período de escravidão no Egito, por causa do interesse nos tributos. Dessa forma, as 12 tribos recém-instaladas na Terra prometida poderiam ter superavit para acelerar a reconstrução de Israel: “Mais tarde, quando Israel se tornou mais forte, submeteu os cananeus a tributos e trabalhos forçados, mas não os expulsou a todos.” (Juízes 1:28)

Pouco depois do êxodo do Egito, Deus falou a Moisés sobre fazer “a soma dos filhos de Israel como recenseamento deles.” Este registrou todos os varões aptos para o serviço militar, e cobrou-se um imposto por cabeça para o serviço do tabernáculo. (Êxodo 30:11-16; Números 1:1-3) Outro censo foi feito pouco antes de Israel entrar na Terra Prometida. (Números 26:1-4)

Após uma série de campanhas militares vitoriosas contra os filisteus, amonitas entre outros, o rei Davi planejou realizar um censo. Muitos estudiosos entendem que sua intenção seria atualizar a cobrança de impostos para criar um fundo quando seu filho construísse o templo em Jerusalém. Apesar de ser questionado por Joabe, ele prosseguiu: “Então, Satanás se levantou contra Israel e incitou Davi a numerar a Israel.” (1 Crônicas 21:1)

O efeito foi devastador para o reino pois uma peste matou dezenas de milhares. O cronista descreveu que a nova capital, Jerusalém, foi o epicentro da mortandade. O cronista no capítulo 21 descreve que o rei Davi teve a visão do Anjo sobre a eira de Araúna, o jebuseu. Davi ofereceu uma proposta de compra, dizendo: “E Davi deu a Ornã, por aquele lugar, o peso de 600 siclos (cerca 6,8 kg) de ouro.” (1 Crônicas 21:25)

Portanto, a missão integral da igreja requer uma visão coerente da aplicação de impostos sobre o povo. Se tenho uma postura progressista, preciso avaliar o perigo da defesa de taxar grandes fortunas pois são esses ativos que geram investimentos privados em nações com orçamento equilibrado.

Aumentos de impostos podem ter objetivo de causar revolta como foi o objetivo do imperador romano Vespasiano no ano 69 AD. Muitas empresas transnacionais tem sua origem ou manipulação de preços em governos interessados em dominar mercados e outros países. Então, as verdadeiras potestades estão nos governos que manipulam empresas através de seus Conselhos de administração. O economista Klitgaard já escreveu como os monopólios e poderes discricionários são as ferramentas favoritas para garantir um ambiente de corrupção.

É um suicídio condenado pela Palavra de Deus, favorecer o crescimento estatal que se subverte em impostos penosos sobre empresas e empreendedores. A ação social pode ser exercida por associações não lucrativas como observado por Peter Drucker que considerou o Exército da Salvação, criado por William Booth, como a melhor Organização do mundo devido seu trabalho voluntário organizado, contínuo e diligente.