Queridos intercessores e apoiadores,

Nessa fase de transição para uma atividade missionária mais específica, revelei no Blog Paracleto pela Lei de Informação uma série de perseguições que sofri, durante o governo do PT. De modo assombroso e sem controles, o RH da Petrobras liberava para contratados fazerem a frequência dos empregados da Petrobras com concessão regular de abonos de faltas. Eu estava entre os 20% que não receberam essas benesses.

A relação estranha com 200 mil contratados na Petrobras causou a entrada de 2.500 funcionários por via judicial desde 2003. Se os contratados realizavam tarefas compatíveis com funcionários durante grande período de tempo, isso provocava grande segurança jurídica. A Reforma trabalhista precisa ser regulamentada e aceita pelo TST para encerrar esse capítulo sombrio das relações entre Órgãos públicos e terceirizados.

Reuni algumas evidências que o boom imobiliário da cidade do Rio de Janeiro, tornando o metro quadrado um dos mais caros do mundo, foi amplificado pela quantidade de concursados e transferências mal explicadas pela Petrobras. A minha tese é que a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 foram formas de beneficiar as grandes construtoras, gerar empregos temporários e lavar o dinheiro de corrupção (com vultosas quantias e milhares de indiciados). Então veio a Lava-Jato! Então entendi o que é resultado direto de nossa intercessão diante do Pai Celestial quando estamos com fome e sede de Justiça.

Jair - 30 anos Petrobras         Jair REDUC

Eu entendi que já estava na Missio Dei e não estava percebendo. Através de 1.600 postagens no blog Paracleto eu estava exercendo a missão de Deus. Não seria estranho, fechar os olhos e aceitar tantos erros acumulados? Percebi que quanto mais escrevia, mais pessoas se levantavam para exercer oposição corajosa em relação às falhas no uso do dinheiro público e da falta de competição em licitações públicas. Em 2014, a contratação direta totalizava 90% da quantidade de contratos na Petrobras. Isso não trazia a Glória de Deus e muitos líderes fechavam os olhos para isso.

Eu sou diretor do Instituto Paracleto, uma ONG criada desde abril de 2011. Para que eu transmita o Evangelho para outros povos, eu preciso ter uma história pessoal de transformação. Trata-se de uma proposta que outras pessoas, especialmente de outras culturas, irão avaliar se vale a pena crer na narrativa bíblica que uma pessoa transformadora está pregando? O ambiente pode ser uma Universidade, uma Empresa de negócios, uma ONG comunitária, um local de refugiados ou um imigrante recebido.

Missionário Jair Walter e família, Instituto Paracleto.

Anúncios