Mateus 12:22-24 Então, lhe trouxeram um endemoninhado, cego e mudo; e ele o curou, passando o mudo a falar e a ver. E toda a multidão se admirava e dizia: É este, porventura, o Filho de Davi? Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam: Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios.

cura

Jesus continuou a guerra espiritual contra todos os espíritos de legalismo, hipocrisia e falsidade. E a libertação de pessoas oprimidas era parte central do ministério de Jesus. É bom lembrar que o exorcismo era conhecido e praticado no Judaísmo.

Então Ele percorreu toda a Galileia, pregando nas sinagogas e expulsando os demônios (Mr 1.39). Quando Jesus identificava uma possessão maligna, isto é, uma habitação de demônios, então Ele expulsava. Lucas lembrou a alegria dos discípulos: “Senhor até os demônios se submetem a nós, em Teu nome!”.

Porém, os fariseus perceberam que não tinham a mesma autoridade espiritual. A autoridade deles vinha dos homens, mas não de Deus. E para eles foi um golpe perceber isso. Mas não estavam dispostos a reconhecer. No texto citado de Mateus, eles reconheceram que Jesus expulsou o demônio que impedia a pessoa de ver e falar.

Mas o mico da inveja estava agarrado a eles! Eles não estavam dispostos a reconhecer que Jesus expulsou os demônios pelo poder de Deus. Ou poderíamos dizer: pelo Seu próprio poder. A reposta dos fariseus revela desconhecimento da hierarquia angelical. Jesus os adverte dizendo que eles pagaram um grande mico porque uma libertação genuína só poderia acontecer após a vitória do reino de Deus.

Anúncios