Em relatório divulgado em 01/08/2016, o Goldman Sachs Group estimou que o Brasil ganhará 5 medalhas de ouro e 22 no total na Rio 2016. Segundo o cálculo, que considera variáveis econômicas, políticas e institucionais dos países para prever o potencial que cada um tem para ganhar medalhas, será a melhor campanha brasileira na história dos Jogos pelo critério de pódios, ultrapassando Londres-2012, onde o Brasil ganhou 17 medalhas, das quais 3 de ouro.O resultado, no entanto, deixará o Brasil aquém da meta do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), de ficar entre os dez primeiros no quadro geral de medalhas.
Brazil gold medals

Especialistas dizem que faltam investimentos em esportes olímpicos para tornar o Brasil um país vencedor. Porém, nenhum esporte recebe mais investimentos que o futebol masculino e não possui medalha de ouro. Pode ser que interesses econômicos sejam mais importantes em tempos modernos.

Muitos atletas profissionais recusam participar das Olimpíadas alegando contusões ou fadiga. Além disso, competições regionais entre países aliados se tornam mais interessantes para a maioria dos atletas.

Se você nunca ouviu falar, bicho é uma remuneração extra que os jogadores recebem por objetivo alcançado: uma vitória, um título ou uma boa campanha. Mas você sabia que o clube que instituiu essa remuneração foi o Vasco?
Em 1923, o clube alvinegro estreou na Liga Metropolitana, o campeonato carioca da época. E foi campeão (foto). Os portugueses, eufóricos com o time, tinham o hábito de apostar na vitória do Vasco. E como quase sempre ganhavam, começaram a dividir o lucro com os jogadores. Mas como amadores, eles não podiam receber em dinheiro.
Criou-se então uma espécie de tabela. De acordo com a importância do adversários, os jogadores recebiam um animal. Ia desde um coelho até uma vaca. Uma vitória contra o América, campeão do ano anterior, valia uma vaca. Já ganhar do Fluminense resultava em duas ovelhas e um porco. Criou-se então o bicho.
bicho 1949

A perspectiva de vitória para as seleções de futebol semifinalistas da Eurocopa 2016 não foi nada barata. A associação de futebol alemã teria de pagar € 300 mil por jogador, o que daria um custo total de € 6,9 milhões para o órgão, enquanto os jogadores e a equipe técnica do País de Gales dividiriam € 8,7 milhões.

Os “bichos” pagos aos jogadores muitas vezes são financiados pelo prêmio em dinheiro oferecido pelo torneio, de € 301 milhões, 50% a mais do que em 2012, sendo € 27 milhões para a seleção vencedora. Em outras disputas, como as ligas nacionais, os possíveis pagamentos aos jogadores superam de longe o prêmio em dinheiro recebido pelos clubes.

Uma opção cada vez mais popular entre as equipes diante dessa faca de dois gumes que a vitória pode representar é a contratação de seguros. Uma federação nacional ou uma equipe de futebol podem proteger-se contra pagamentos muitos pesados. O cliente paga um prêmio e a seguradora cobre os custos de qualquer bonificação aos jogadores

“O time ganhando ou perdendo, o custo para o ano é conhecido”, diz Rod O’Gallaghan, diretor da Airton Risk Management, um braço da Paddy Power Betfair. “Se o time vencer, além de todos as glórias da vitória, nossos clientes têm a vantagem de pagar apenas uma fração da gratificação”.

Muitos das seleções nacionais competindo na Eurocopa 2016 ofereceram “bichos” aos jogadores cujos times fossem avançando no torneio e algumas cobriram sua exposição. “Certamente houve um aumento nos pagamentos relacionados ao desempenho nos esportes”, diz Luke de Rougemont, diretor da Hedgehog Risk Solutions, especialista em seguros na área. “Vimos um aumento significativo no prêmio de seguros para bonificações contratuais nos últimos dois anos.”

De acordo com a Airton Risk Management, os negócios quintuplicaram desde 2011, já que os “bichos” fazem cada vez mais parte dos contratos dos jogadores. A empresa faz seguros para times da Premier League, a primeira divisão do futebol inglês, entre outros campeonatos menores.

As competições domésticas são alvo preferencial das seguradoras. “Frequentemente, as gratificações são compensadas pelo prêmio que se ganha em dinheiro, mas muitas vezes elas superam o valor recebido”, diz De Rougemont. “Vários clubes oferecem pagamento de ‘bichos’ aos jogadores por ganhar a Copa da Inglaterra, por exemplo, mas o prêmio [4,3 milhões de libras esterlinas ou US$ 5,66 milhões] por vencê-la não é tão significativo assim.”

“Se o Arsenal não conseguir se classificar para a fase de grupos da Copa dos Campeões, isso vai lhes custar € 55 milhões, então eles certamente teriam interesse em ter cobertura”, diz O’Cal laghan. “E se oferecêssemos cobertura para rebaixamentos, 16 equipes provavelmente a contratariam dada a incerteza da liga.”