No censo de 2000, os evangélicos representavam 8,2% da população. Em números absolutos, a população que se declara envangélica no Ceará cresceu de 650 mil para 1,23 milhão em 10 anos. O número de pessoas que se consideram envagélicas no Ceará representa 14,5% da população do estado.
As porcentagens de evangélicos são maiores na Região Metropolitana de Fortaleza, em alguns municípios do litoral e nos municípios de Tauá e Parambu (sertão dos Inhamuns) e Penaforte, no extremo sul do Cariri. Já o Cariri e o Centro-sul são as regiões com maiores porcentagens de católicos e presença evangélica apenas simbólica.
Na última década, houve um crescimento de 96,9% da população evangélica potiguar. Em 2000, havia no estado 247.755 evangélicos. O número cresceu para 487.948. Uma conquista de 240.193 novos fiéis. Em números absolutos, os evangélicos pentecostais mais que dobraram na década de 1990 (aumento de 119%). Entre 2000 e 2010, eles cresceram 44%.
Dados do Censo de 2000 apontam para Felipe Camarão,
bairro da Zona Oeste da cidade de Natal, uma população de 45.907 habitantes, vivendo numa área de 663,4 ha. O mais surpreendente é que existem 58 igrejas na região que formaram uma coalizão para compartilhar ideias e trabalhos com vistas a melhorias das condições de vida da comunidade. Uma ação digna de oração, reprodução e impulsão.

Blog Paracleto

No Censo IBGE de 2000, o município de Fortaleza ocupava o segundo lugar entre as capitais brasileiras quanto à importância dos católicos na população (79%), logo depois de Teresina. Os católicos se mostram mais numerosos na parte oeste da cidade, que corresponde aos espaços de maior densidade demográfica. No entanto, os seus mais elevados percentuais são encontrados em bairros localizados a leste do Centro, como Meireles, Aldeota, Dionísio Torres, e ao sul, como José Bonifácio e Benfica, onde o catolicismo atinge 86% da população.

Com cerca de 55 mil fiéis em Fortaleza e 11 mil no restante da região metropolitana, os evangélicos de missão alcançavam 2,6% em 2000, alcançando 4% em Edson Queiroz e Sabiaguaba. Ao longo da década de 90, os pentecostais apresentaram uma variação de 4,7%. A importância relativa se mostra mais elevada, nos bairros periféricos da capital, onde ultrapassam, frequentemente, 12% da população, sobretudo no sul…

Ver o post original 713 mais palavras

Anúncios