O ambiente de trabalho pode ser um lugar criativo e feliz. As Empresas precisam escolher qual padrão de conduta querem seguir. Elas precisam de flexibilidade e transparência nos negócios com sustentabilidade e padronização nos processos. Orgãos públicos e Estatais precisam de subcontratações limitadas e bem regulamentadas. As terceirizações precisam do apoio do Congresso e dos Tribunais para evitar áreas obscuras e atividades questionáveis.

Muitas Empresas são rígidas com seus Fornecedores mas são bastante “liberais” na relação com seus Clientes. Muitos desses clientes tem participação societária em Empresas fornecedoras e da mesma Holding. Então, fica difícil encontrar o limite entre as duas relações. O que é um desafio para a ética não é impossível para a prática.

Faz alguns anos que prevíamos que a Petrobras poderia ser transformada de solução para muitas ações de governos para um grande problema. Quanto maior a Instituição, maior a chance de se tornar um espelho das forças políticas que movem uma Sociedade. Ou seja, para resolver a crise de um agente, precisamos avaliar o estado das outras Instituições. A seguir, precisamos propor soluções ainda não testadas.

Atualmente o homem mais rico do país, Jorge Paulo Lemann, com patrimônio estimado pela Bloomberg em US$ 21,5 bilhões, diz que busca contratar gente “que cria problemas”, e não um “soldado” que obedece o que o superior comanda.

“A gente gosta de pessoas que têm iniciativas próprias, atingem resultados. Tem gente que fala muito, mas não faz, não acontece”, diz Lemann, que é um dos sócios do 3G Capital, que controla a Ambev, o Burger King, as Lojas Americanas e outras grandes empresas. Ele participou de um bate-papo realizado pelo site Na Prática, da Fundação Estudar (que ele também mantém).

Ele afirmou ainda que, hoje, os candidatos a uma vaga já chegam sabendo o que dizer. “Todo mundo que vem para a entrevista é escolado, sabe as respostas, vem preparado. O melhor mesmo é dar uma chance para botar para trabalhar, fazer algo, porque daí rapidamente se descobre quem é bom e quem não é.” De acordo com o empresário, a cultura organizacional das empresas dele são “cópias” e uma “mistura” de coisas que ele e os sócios foram “vendo de vários lugares e misturando”.

As práticas de meritocracia, a cultura de dar uma parcela da empresa aos funcionários que se destacam para que as pessoas tenham a senso de serem donas, as avaliações constantes e operações com custos muito controlados foram classificados como não muito sofisticadas por Lemann. “São coisas simples”, ele afirmou.

 

Problemas? OBA! de Roberto Shinyashiki foi lançado em 2011 pela Editora Gente. O livro fala de carreira e negócios com ênfase nos problemas que podem surgir dentro de uma empresa/organização. O autor, através de conversas com um amigo e mentor que passa por grandes dificuldades na vida profissional, explica e dá lições de como os problemas podem ser a solução para uma carreira de sucesso.

“Os melhores profissionais são forjados no fogo, ou seja, nas situações mais problemáticas. São esses que conseguem ter controle emocional e capacidade de agir sob pressão em tempos ou ocasiões difíceis, trazendo, assim, bons resultados.”

Como estudante da área, aos pouco estou explorando os livros que falam sobre o “mundo dos negócios”; carreira, negócios, dificuldades e sucesso, tudo isso vem chamando minha atenção ultimamente. Portanto, nada melhor que escolher um livro do renomado Roberto Shinyashiki para dá início a minha exploração pelo gênero.

O autor tem como objetivo fazer o leitor ter uma nova visão sobre os problemas que surgem no dia-a-dia de um mentor. É importante estar atento às oportunidades que surgem com os problemas, principalmente se você deseja mostrar competência e ser um profissional melhor. Ou ainda, melhorar sua empresa e ter mais lucros.
“Todos os problemas, sem exceção, emitem sinais em todas as suas etapas de evolução. Podemos dizer que todo problema é, antes de tudo, “uma tragédia anunciada”. Basta que saibamos perceber os avisos.”

“Um dos segredos dos homens de sucesso é fazer diferente do que a maioria das pessoas faz. Nem que seja para chorar uma eventual derrota, batalhe sempre para ir adiante quando a maioria para porque diz que está cansada.  Afinal de contas, você quer ser especial ou apenas mais um na multidão?”

“Ter começado minha carreira em um centro-cirúrgico me deu uma confiança muito grande. Hoje, quando tenho algum problema e pessoas ao meu redor estão nervosas, eu me acalmo e procuro acalmar a todos, pois mesmo que tudo dê errado e o pior aconteça, ninguém estará correndo risco de morrer.”

“E há somente uma coisa pior que caminhar na direção errada: caminhar na direção errada com determinação.”

“Não importa quem seja, porque o currículo só mostra o passado. E o passado não é garantia de bom desempenho para ninguém. O futuro exige que você mostre no presente algo parecido ou melhor do que fez no passado. Porém, somente quem tem consciência de que é preciso continuar aprendendo é capaz de usar o passado como base para falhar menos. Mesmo assim, ainda vai falhar em muitos momentos.”

“Infelizmente, quando veem um gesto de carinho, as pessoas se identificam com a pessoa que o recebe e passam a viver como parasitas, quando na verdade deveriam perceber que abrir o coração para cuidar do outro é o principal caminho para ser uma pessoa melhor.”