As pessoas são o grande diferencial das organizações. Este é o significado de capital intelectual ensinado por Waldez Ludwig:”O ser humano tem hoje uma importância nas organizações que nunca teve antes. O conhecimento, gerado pelas pessoas, é mais importante que o capital. As coisas mais valiosas não estão no balanço das empresas”. O grande desafio do mundo empresarial é a inovação e isso somente será conseguido por meio das pessoas.

assetsO professor explica que existe uma diferença entre uma pessoa competente e uma pessoa talentosa. “Talento é aquilo que você faz que os outros acham que você faz melhor que os outros”, esclarece. Ludwig complementa que todas as empresas estão em busca de pessoas raras. “É aquele funcionário que você tem que pedir ‘pelo amor de Deus volta amanhã”, brincou.

Ludwig orienta que se você for talentoso ao invés de competente vai ganhar dinheiro, do contrário, se qualquer um puder substituí-lo você não passa de mão-de-obra, e isso tem muito. “Faça uma lista das coisas em que você é realmente bom, que não significam que sejam as quais você sempre sonhou em fazer, é com isso que você vai ganhar dinheiro. Deixe o que você gosta de fazer, mas não tem talento, como hobby, que é pintar quadros, fazer fuxico ou tocar violão”, ressaltou.

Para ele, a era das grifes acabou porque agora é o consumidor que está no comando. “Meu avô comprava as coisas por necessidade, meu pai pensando em conforto, eu compro pelo sonho, pela grife, mas meu filho só compra pelo conceito. A nova geração só compra se a empresa for bacana”, salientou. Ludwig esclareceu que não é que a marca acabou, ao contrário, ela está mais forte: “a marca é um sentimento que as pessoas têm em relação a você”.

assets2O professor chamou atenção para os jovens e as mulheres ao longo da palestra. “Se você precisa de conselhos a respeito do futuro procure um jovem, ele está sempre certo com relação ao futuro, mas se você precisa de sabedoria de vida vá a alguém mais velho”, disse. Ludwig justifica que as empresas que observarem os mais jovens terão sucesso porque são eles que atualmente estão ditando as regras. Já, as mulheres, conforme o professor, têm uma importância fundamental no mundo dos negócios. “Estamos caminhando para um mundo mais feminino e os homens precisam adquirir algumas características femininas importantes. Vou dar exemplos, a mulher quando viaja faz um planejamento pensando ‘e se…’ e a mala vai crescendo só por precaução, elas utilizam espelhos grandes porque querem ver tudo nos mínimos detalhes, não se importam de colocar a mão na massa e, se precisar varrer, elas certamente saem varrendo e ainda por cima choram porque são sensíveis”, destacou.

De acordo com o professor, não se usa mais o termo qualidade de vida, atualmente as pessoas possuem estilos de vida. “A nossa sociedade está vivendo um momento de pleno livre-arbítrio. Pode tudo, moderadamente. O maior erro da revolução industrial foi separar trabalho da vida. Mas agora as pessoas trabalham porque querem realizar um sonho. Realizar o sonho dos funcionários é o caminho mais fácil e melhor para as empresas reterem talentos.”, avisou.

Formado em psicologia e teatro, Ludwig é professor em gestão empresarial e concede palestras em todo o País, falando para públicos cada vez maiores. Irreverente e com um elogiável poder de oratória ele conduziu a palestra durante duas horas, tempo em que a plateia alternava entre o silêncio nos momentos de reflexão e risadas em horas de descontração. “Quando o trabalho é um prazer, a vida é uma alegria. A gente tem que ir para o trabalho para se divertir, se isso não ocorrer alguma coisa está errada. Se você faz tudo bem-humorado sai tudo certo”, frisou ele.

Fonte: http://www.cic-caxias.com.br/noticias/.

Anúncios