Após alguns anos de consultoria e pesquisa de congregações locais, eu encontrei idéias comuns para quebrar as barreiras do crescimento sustentável, independentemente do tamanho da igreja ou Organização. Há certamente mais de 4 possibilidades, mas me permita avaliar essas quatro abordagens mais comuns.

1. Criar novos grupos.
Estes grupos podem ser grupos domésticos, pequenos grupos que se reúnem em cafés, grandes grupos de interesse, aulas de escola dominical, grupos de ministérios, e outros. Os líderes da Igreja são intencionais sobre a criação de grupos em uma base contínua. Eles normalmente têm metas para o número de grupos que começam.

Avaliação: Percebo um grande sucesso com esta estratégia. Algumas igrejas conseguem lidar com ministérios e pequenos grupos. O problema é que a maioria das igrejas não tem nenhuma estratégia.

2. Criar novos cultos.
Uma igreja se move a partir de um serviço de dois, ou de dois para três, ou mesmo mais. O movimento é geralmente precipitada por um ou mais serviços executados fora do espaço.

Avaliação: Na maioria das vezes o novo serviço faz ajudar a igreja a quebrar barreiras da assistência. Mas, lembre-se, a igreja já estava crescendo até que ficou sem espaço. O novo serviço simplesmente “levanta a tampa” para que a Igreja possa continuar a crescer. Eu teria cuidado com uma igreja, no entanto, sobre a mudança para um culto adicional se ele não estiver em um momento de crescimento.

3. Criar novos espaços.
Este princípio é semelhante a adicionar novos cultos, mas a igreja usa uma instalação diferente para um novo culto. Essa nova unidade pode realmente ser um novo Campus. Pode ser uma reunião de serviço social ou cultural nas instalações da igreja em um salão diferente do que o templo tradicional. Pode ser uma igreja mesclada de outro local. As possibilidades são muitas.

Avaliação: Os resultados até agora são positivos. Como uma igreja adiciona um novo local, há um aumento natural no atendimento. A forma multi-campus deste novo espaço está crescendo em uso e popularidade principalmente com bons resultados. Nós ainda estamos a alguns anos de distância de ser capaz de medir o impacto a médio prazo de novas instalações em crescimento. Eu estaria disposto a especular que os resultados serão muito positivos.

4. Tenha um grande evento.
A estratégia da igreja é fazer com que um ou mais eventos que vão criar excitação suficiente para os membros de convidar aqueles que não estão freqüentando a igreja. Esse evento pode ser ligado a uma data importante, como Páscoa, Aniversário de fundação da Igreja, ou Natal. Ela pode ser ligada a uma tradição significativa em uma igreja. O plano é levar as pessoas a participar que não freqüentam regularmente.

Avaliação: Tenho estudado algumas igrejas que usam o grande evento como a sua estratégia de crescimento, e os resultados não são bons. Atendimento tende a subir por algumas semanas após o evento, mas depois se estabiliza nos padrões anteriores. Igrejas podem gastar muito dinheiro em grandes eventos, mas é difícil ver uma igreja quebrar sua barreira de membresia ou assistência regular.

Que abordagens bem sucedidas você já viu a quebrar barreiras de atendimento? O que você acha dessas abordagens que destaquei? Por que as igrejas não deveriam criar pequenos grupos organizados, quando se provou ser o método mais eficaz para o crescimento e para quebrar as barreiras de atendimento?

____________________________________________________________________________________________________

After some years of consulting and researching local congregations, I have found four common approaches churches take to break attendance barriers regardless of size. There are certainly more than four possibilities, but allow me to evaluate these four more common approaches.

1. Create new groups.

These groups may be home groups, small groups that meet in coffee houses, Sunday school classes, ministry groups, and others. Church leaders are intentional about creating groups on an ongoing basis. They typically have goals for the number of groups they start.

Evaluation: I have seen great success with this strategy. I would speculate that as many as eight out of ten churches that strategically create new groups grow to new attendance levels. The mystery to me is why most churches don’t have anyone strategy.

2. Create new worship services.

A church moves from one service to two, or from two to three, or even more. The move is typically precipitated by one or more services running out of space.

Evaluation: Most of the time the new service does aid the church in breaking attendance barriers. But, keep in mind, the church was most likely growing already until it ran out of space. The new service simply takes the lid off so the church can continue to grow. I would caution a church, however, about moving to an additional worship service if it’s not already in a growth mode.

3. Create new places.

This principle is similar to adding worship services, but the church uses a different facility for the new service. That new facility may actually be a new campus. It may be an ethnic service meeting in the church facilities in a different room than the worship center. It may be a merged church from another location. The possibilities are many.

Evaluation: The results thus far are positive. As a church adds a new venue, there is a natural increase in attendance. The multi-campus form of this new venue is growing in use and popularity with mostly good results. We are still a few years away from being able to measure the mid-term impact of new venues on growth. I would be willing to speculate that the results will be very positive.

4. Have a major event.

The church’s strategy is to have one or more events that will create sufficient excitement for members to invite those who aren’t attending church. That event may be tied to a major holiday such as Easter, Birthday of church, or Christmas. It may be tied to a significant tradition in a church. The plan is to get people to attend who would not regularly attend.

Evaluation: I have studied a churches that use the big event as their major growth strategy, and the results are not good. Attendance tends to rise for a few weeks on and after the event, but then it settles down to previous patterns. Churches can spend a lot of money on big events, but I hardly ever see a church break an attendance barrier consistently, even with those large amounts of resources dedicated to it.

What successful approaches have you seen to break attendance barriers? What do you think of these approaches I have highlighted? Why do churches not create new groups regularly and strategically when it has proven to be the most effective method for growth and for breaking attendance barriers?

Anúncios