Com sua ajuda e compartilhamento, os blogueiros podem fazer mais pelo mundo. Especialmente aqueles que vivem sob opressão religiosa e ditatorial. Eles podem denunciar decadência moral, econômica e social de uma comunidade ou sociedade. A idéia é romper com o cerco da grande Mídia, muito dependente de publicidade estatal. Em postagem de 02/05/2012, fiz os seguintes comentários sobre a blogueira cubana Yoani Sanchez:

A blogueira opositora ao regime comunista da ilha postou também uma fotografia da negativa recebida do governo cubano. Crítica do regime dos Castro, Yoaní recebeu na semana passada da Embaixada Brasileira em Havana o visto de turista para visitar o Brasil. A intenção era participar do lançamento do documentário “Conexão Cuba-Honduras, do cineastra Dado Galvão, no próximo dia 10, na Bahia.

Yoani Sanchez teve seu plano de viagem ao Brasil adiado, pelo governo de Cuba, desde junho de 2012 até agora.

Recepção-de-Yoani-no-BrasilCriadora do blog Generación Y, Yoani é contrária ao regime cubano, e narra situações da vida cotidiana em Cuba, incômodas para a ditadura dos irmãos Raul e Fidel Castro. Ao mesmo tempo, ela mesmo é alvo de críticas de setores da esquerda favoráveis ao regime castrista e que a veem como uma “mercenária”.

“O embargo norte-americano deve terminar já. Como método de pressão, é um fracasso. O embargo é hoje a situação fundamental que o governo usa para mostrar seu fracasso econômico.  Defendo o fim do embargo para ver como o governo cubano vai explicar seu fracasso”

Desde que lançou o blog “Generación Y” em 2007, Yoani Sánchez ganhou várias comendas –entre elas o prêmio Ortega y Gasset do jornal espanhol “El País” (R$ 39,2 mil), prêmio do governo dinamarquês Príncipe Claus (R$ 110 mil), prêmio holandês Cepos (R$ 65 mil), prêmio Jaime Brunet da Universidade de Navarra (R$ 94,2 mil).

Também ganhou menção honrosa no Maria Moors Cabot, da Universidade Columbia em Nova York (sem remuneração). Segundo a blogueira, até agora ela não conseguiu receber a maior parte do dinheiro com que foi premiada pelo seu trabalho. Para a turnê por 11 países que começou pelo Brasil, ela diz ter trazido só o equivalente a R$ 400.

Conforme publicado na revista Veja, no dia 6 de fevereiro, o conselheiro político da embaixada de Cuba em Brasília, Rafael Hidalgo, convocou militantes do PT, do PCdoB e integrantes da CUT para participarem de uma operação de desqualificação de Yoani, que está no Brasil para o lançamento do seu livro. O CD distribuído reunia informações distorcidas e afirmava que, por beber cerveja, comer banana e frequentar a praia, Yoani Sánchez levava uma vida de luxo na ditadura dos irmãos Castro.

Subordinado ao ministro-chefe da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho, Ricardo Poppi disse aos seus superiores que no encontro foi debatida “a política migratória de Cuba e a vinda da blogueira Yoani Sánchez ao Brasil”. Oficialmente, Poppi alegou, na apuração interna do governo, que não utilizou as informações do dossiê.

Como tenho denunciado neste blog, vários integrantes de partidos de esquerda estão estrategicamente espalhados nas Estatais e Órgãos públicos para vigiar ações opositoras democráticas e viabilizar uma intervenção agressiva do Estado.

Logo após ter participado da reunião na embaixada, o assessor embarcou em viagem oficial para a ilha. Segundo levantamento da ONG Contas Abertas, ele recebeu 5 095,10 por oito diárias internacionais, embora o evento tivesse duração de apenas três dias. Embora o acesso à internet na ditadura cubana seja monitorado, impedindo a livre manifestação da população, o funcionário do governo brasileiro recebeu recursos para fazer parte dos debates sobre “redes sociais e meios alternativos, novos cenários da comunicação política no âmbito digital”. Em 2012, em outras viagens oficiais, Poppi já havia recebido 14 047,02 reais em diárias.

Anúncios