Brazil has been considered to be a key-country with “great influence” on the negotiations with Iranian government to free Pastor Youcef Nadarkhani, according to Director of Operations of Brazilian Center for Law and Justice (BCLJ), Filipe Coelho.
Coelho said, in a recent email to The Christian Post, that the protests that took place at the recently held Rio + 20 – the UN Conference on Sustainable Development – and an official letter delivered to Iranian President, Mahmoud Ahmadinejad to demand Youcef’s release, have been very positive.

“We don’t know if the letter reached his hands, but we know that a lot of people who were not aware of the case got involved after the protests held by some Brazilian pastors,” he wrote to CP.

Pastor Youcef Nadarkhani has been arrested and imprisoned in Iran, being accused of apostasy for having converted from Islam, and many fear he will face the death penalty.

However, he was found guilty of evangelising Muslims and sentenced to three years in prison. He was released immediately because he had already served this time in prison, after being held behind bars since the apostasy charges were first levelled against him in 2009.

Good diplomatic relations between Brazil and Iran are seen as hopeful for the efforts to release the Pastor. According to Filipe, specifically for Youcef’s case, weekly meetings have been held between the Iran Ambassador in Brazil and the Brazilian senator Magno Malta and the president of Christian Social Party (PSC), Pastor Everaldo Pereira.

“They have been holding a weekly meeting with Ambassador and with this we were able to have good results and a great influence on the case. Our vice-president Michel Temer has also been attentive to us,” Filipe said.

Brazil has also contributed to TweetForYoucef campaign, which has recently reached over 3 million accounts on Twitter. According to American Center for Law and Justice (ACLJ), Pastor Youcef Nadarkhani’s story is currently reaching 2,246,388 in English and more than 670,000 in Portuguese through BCLJ.

We know that God promises to bless those who are persecuted, but we also know that Hebrews 13:03 says, ‘Continue to remember those in prison as if you were together with them in prison, and those who are mistreated as if you yourselves were suffering.'”

Coelho also invites everyone to participate in the two-day event “48 Hours For Religious Freedom,” which be held during the weekend of September 22, 23, on behalf of Pastor Youcef and other Iranian Christians suffering from religious persecution.

__________________________________________________________________________________
Brasil, considerado um dos país-chaves nas negociações com o governo iraniano para a libertação do PastorYoucef Nadarkhani, tem trazido bons resultados para o caso, afirmou o diretor de operações do Centro Brasileiro para Lei e Justiça (BCLJ), Filipe Coelho.

Em entrevista ao The Christian Post, Filipe afirmou que as manifestações brasileiras ocorridas durante a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio +20, bem como uma carta direta ao presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad e reuniões políticas em favor da libertação de Youcef, têm sido bastante positivas.

“Não sabemos se a carta chegou ou não em suas mãos, mas sabemos que muita gente se envolveu no qual nem estava sabendo do caso após esta manifestação dos pastores. Vamos ficar sabendo agora dia 8 de setembro, pois será o dia de seu julgamento”, escreveu ele ao CP, em um email.

De acordo com Filipe, o Brasil possui boas relações com o Irã no caso, através de cosntantes reuniões entre o Embaixador do Irã no Brasil e o senador Magno Malta e o presidente do Partido Social Cristão (PSC), Pr. Everaldo Pereira.

Nadarkhani, de 32 anos, só foi solto depois de uma grande pressão internacional que deu ampla visibilidade para o seu caso. Sem essa intervenção, ele poderia ser executado. Ele foi inocentado da acusação de apostasia. A única acusação que não foi eliminada foi a de “evangelizar muçulmanos”. Contudo, como ele já passou três anos na prisão, esse tempo de encarceramento cumpriu a sentença da acusação de evangelizar muçulmanos.

Brasil teve muito envolvimento na libertação do pastor iraniano. Não o governo brasileiro, mas o senador Magno Malta, da bancada evangélica. Durante meses, o senador evangélico se reuniu com ministros e outras autoridades elevadas do governo brasileiro, e conquistou importantes vitórias.

Com os esforços de Malta, o próprio embaixador do Irã, numa atitude inédita, visitou o gabinete do senador garantindo uma solução.

“Eles tem reunido com o Embaixador semanalmente e com isso temos tido um bom resultado e uma grande influência no caso. Nosso Vice-Presidente Michel Temer também tem nos atendido sempre.”

yousef-nadarkhaniO Brasil contribuiu para a campanha Tweet para Youcef que alcançou recentemente mais de 3 milhões de pessoas no Twitter por dia, com o intiuito de levar notícias e informações sobre o pastor cristão preso.

Segundo o Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ), a história do pastor está alcançando a cada dia 2.246.388 contas de Twitter na língua inglesa e 785.921 na língua portuguesa, através da BCLJ.

“Sabemos que Deus promete que os perseguidos serão abençoados, mas também sabemos que em Hebreus 13:03 diz, “Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo”.

Ele também convoca a todos a participarem da campanha de oração de dois dias de oração em 22 e 23 de setembro, cujas informações podem ser obtidas através do site http://48hoursforfreedom.org/.

Anúncios