A Coréia do Sul chama a atenção do Mundo devido seu desempenho nas Olimpíadas de 2012. Este páis fazia parte da China até que os japoneses a conquistaram após a I Grande Guerra. O final da II Grande Guerra, com a derrota japonesa, provocou a formação de 2 países distintos: o sul , capitalista, e o norte, comunista.

Mais de cinco mil participantes, incluindo 2,5 mil missionários coreanos de 169 países, vieram participar da Conferência Mundial de Missões da Coreia 2012, realizada entre 23 e 27 julho no Wheaton College, em Chicago. O maior encontro de missionários coreanos de todo o mundo foi realizado para comemorar em Chicago/EUA esta semana esta marca histórica de mais de 20 mil missionários no mundo e que apresenta o mais rápido crescimento de movimento missionário já registrado. O número de missionários coreanos em 169 países tem mais do que dobrando em 10 anos. A este ritmo de crescimento, a Coreia deve superar os Estados Unidos que até hoje figura como o principal país em envio de missionário no mundo até 2020.

John Piper, da Igreja Batista Bethlehem pregou a Palavra; Loren Cunningham, co-fundador de Jovens Com Uma Missão, Doug Birdsall, presidente executivo do Movimento Lausanne, e Loni Arnold, diretor executivo do Centro de Billy Graham estava entre os líderes evangélicos americanos que falaram durante a conferência de 23 de julho de julho a 27 realizada no Wheaton College Billy Graham Center, em Wheaton, Illinois.

“Há um grande chamado por Deus para as igrejas coreanas”, disse Piper durante a ministração de abertura da conferência. “Deus tem dado grande benção para as igrejas coreanas em todo o mundo. Onde há grande benção, uma enorme responsabilidade vem a seguir.”

Mais de cinco mil pessoas – metade delas missionários – participou da 7ª Conferência Missionária Mundial Coreana , que analisou a evolução das missões no passado e as tendências de missão para os próximos 10 anos. A conferência de missões, que é realizada a cada quatro anos no Wheaton College Billy Graham Center desde 1988, teve o apoio das três maiores organizações missionárias da Coreia – Conselho Mundial das Missões da Coreia para Cristo, Associação Mundial das Missões Coreanas, e Sociedade Coreana de Missões Mundiais.

O movimento missionário coreano remonta desde o final dos anos 70, mas o seu rápido crescimento se deu a partir de 1990 quando 1.000 missionários coreanos foram mandados para o exterior. Hoje, existem cerca de 25.000 missionários coreanos ao redor do mundo, indicando um aumento percentual de 2.500, em missionários coreanos nas últimas duas décadas.

A oração pode ser um dos fatores que poderiam explicar o impressionante crescimento no movimento missionário coreano no mundo – disse o palestrante Seuk-Hee Goh, secretário-geral do Conselho Mundial das Missões da Coreia para Cristo e um dos membros fundadores da Conferência Mundial das Missões Coreana.

A maior ameaça para as missões cristãs mundiais hoje é o crescimento do Islã no mundo, de acordo com Doug Birdsall.  No dia 24 de julho, Doug deu uma palestra sobre as cinco coisas mais importantes que os cristãos modernos deveriam se preocupar, e listou o Islã no topo.

Ele disse que o Islã está prosperando economicamente e se expandindo fazendo missões com o objetivo de criar mesquitas em todo o mundo. Ele descreveu o Islã como uma religião que não confessa a Jesus como Senhor.

“Há duas religiões que se concentram em missões: o cristianismo e o Islã”, disse Birdsall. Uma delas é uma religião que ensina a amar os inimigos, e outra é uma religião sem o perdão, disse ele.

Loren Cunningham, co-fundador da JOCUM, exortou os cristãos sul-coreanos para não hesitar em enviar Bíblias à Coréia do Norte. A Bíblia é a forma que se tem para transformar uma nação comunista, pois ensina a amar o próximo e é só assim que haverá mudança.