NOVA YORK – O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, anunciou nesta quarta-feira uma campanha para salvar, em cinco anos, 16 milhões de mulheres e crianças com ajuda de um fundo de US$ 40 bilhões criado a partir de doações de governos e grupos privados. A chamada “Estratégia Global para a Saúde de Mulheres e Crianças” foi anunciado após um encontro de três dias em que foram discutidos os esforços de combate à pobreza para cumprir as metas do milênio, estabelecidas em 2000. Entre as metas acordadas na ONU, estão cortar a pobreza extrema pela metade, garantir educação primária para todos, reverter a pandemia de Aids e reduzir a mortalidade infantil e maternal.

“Mulheres e crianças tem papel crucial no desenvolvimento”, disse Ban em um comunicado preparado para o evento e divulgado por seu escritório. “Investir na saúde delas é não apenas o que é certo, mas também constrói sociedades estáveis, pacíficas e produtivas.

Diminuir a mortalidade de mulheres grávidas ou durante o parto e o número de mortes de crianças com até cinco anos são as duas das oito metas do milênio que avançam mais lentamente. De acordo com a ONU, a Estratégia Global identifica o financiamento e as mudanças políticas necessárias para mudar as condições de saúde destes dois grupos e salvar vidas. O plano também prevê evitar 33 milhões de casos de gravidez indesejada até 2015.