João 1:45-46 Filipe encontrou a Natanael e disse-lhe: Achamos aquele de quem Moisés esreveu na lei, e a quem se referiram os profetas: Jesus, o Nazareno, filho de José. Perguntou-lhe Natanael: De Nazaré pode sair alguma coisa boa? Respondeu-lhe Filipe: Vem e vê.

Aramis C. DeBarros, no seu livro DOZE HOMENS, UMA MISSÃO1, comenta que, em Israel, se alguém costumava descansar sob a sombra de uma figueira, era, certamente uma pessoa de posses. Jesus estava montando a sua equipe, buscando uma certa relação de proximidade nos escolhidos. Os estudiosos identificaram coincidências e tradições sobre o parentesco dos discípulos citados nos evangelhos: Simão e André eram irmãos, Tiago e João eram irmãos, Tomé, Mateus e Tiago talvez irmãos também, primos de Jesus; Lebeu ou Judas de Tiago era primo em grau mais remoto; Simão Zelotes e Judas Iscariotes eram talvez pai e filho. É bom lembrar que não eram apenas estes os discípulos. Ele criou uma rede de cooperadores, especialmente mulheres, ao longo da Judéia, Galiléia e Samaria. Já notou que nas religiões orientais as mulheres quase não aparecem nas reuniões em templos, em locais públicos ou protestos? A atuação delas é restrita ao ambiente familiar mas pode ser poderosa em sua influência.

Neste caso, os comentaristas concordam que Bartolomeu e Natanael eram a mesma pessoa. Repetindo a atitude de André, ex-discípulo de João o batizador que convidou seu irmão para conhecer o Messias, Felipe convidou Natanael conforme João registra no seu Evangelho capitulo 1, versos 44 a 46. Natanael não escondeu sua surpresa quando ouviu sobre a origem do profeta apresentado.

Ele deveria saber que o Messias nasceria em Belém de Judá. Nazaré, não sabia ele, foi o lugar de sua infância. Na verdade nenhum outro homem seria capaz de cumprir todas as 60 principais profecias e as 270 referências a respeito do Messias. Só Jesus Cristo reuniu toda esta sequência de eventos e realizações.

mico-1

O preconceito religioso revelado por Natanael é uma das armas mais destrutivas da Humanidade. Destrói as relações entre povos e nações. Impede a aproximação de pessoas numa mesma comunidade. O preconceito é a matéria-prima usada em muros de separação.

Quantas vezes você já deve ter ouvido: “Ah, eu não vou com a cara do fulano”. Ou então: “Não suporto a voz do ciclano”. Na maioria das vezes, não houve sequer um contato ou ocasião que explicasse aquela antipatia.

Natanael conseguiu vencer o mico do preconceito. E passou a acompanhar as ações de um homem que não tinha preconceitos. Conversava com os fariseus, recebia os gentios, entrava na casa de publicanos e atendia os pleitos das mulheres. Jesus estabeleceu seu Reino sem preconceitos para que sua igreja, hoje, exerça sua tarefa livre de preconceitos. Por isso, Jesus disse que conheceríamos a Verdade, e ela nos libertaria. A começar por nossos preconceitos! Aqueles que sofremos ou aqueles que praticamos.

1 Aramis C. DeBarros, Doze Homens, Uma Missão, Editora Luz e Vida, 1999

Anúncios