Frequentemente, os homens precisam se opor ao Estado opressor. Algumas vezes, a igreja deu suporte ao Governo conquistador. Apenas os profetas identificam os princípios contrários à vontade de Deus e levantam sua voz até a extinção de uma ideologia.
Parece que a História nos constrange e convida a se repetir. Resta saber de que lado dela nós estaremos.

Blog Paracleto

Chamava-se August Landmesser e, em 1936, negou-se a fazer a saudação nazi. Para se distinguir da multidão, cruzou os braços numa posição que ficou marcada para sempre numa fotografia. A imagem foi recuperada recentemente pelo blog Senrimonchi – criado para facilitar a ajuda ao Japão após o terremoto de Março de 2011 – e tem viajado pelo mundo através das redes sociais.

A imagem retrata uma multidão reunida em Hamburgo durante o lançamento de uma embarcação naval alemã em 1936, encontrando-se todos os presentes a executar a saudação nazi. Todos menos um.

Durante anos, esse homem irreverente, ou corajoso, permaneceu despercebido na multidão até que, em 1991, foi identificado por uma das filhas como sendo August Landmesser, um trabalhador do estaleiro de Hamburgo.

Por detrás do seu gesto – ou falta dele –, está uma história comovente de amor e guerra que fez o alemão deixar o partido Nazi a…

Ver o post original 315 mais palavras

Anúncios