O bispo argentino Fernando María Bargalló, da Diocese de Marlo-Moreno, está sendo investigado pelo Vaticano depois de ter divulgadas imagens suas abraçando uma mulher no mar em uma praia do México. A Santa Sé abriu um processo para apurar o comportamento do sacerdote, que disse que a mulher loira que aparece nas fotos é uma “amiga de infância”.
 O religioso, que também é presidente da associação de caridade Cáritas Argentina, concedeu entrevista à emissora América 24 após a divulgação das fotos, que provocaram um escândalo no país. “Ela é uma amiga de infância, praticamente a conheço desde sempre, e as imagens só podem ser explicadas no contexto de uma longa amizade”, disse o bispo.
O caso ganhou rápida repercussão na imprensa argentina e Bargalló, titular da diocese de Merlo-Moreno, na província de Buenos Aires, foi à televisão se explicar. Ao canal a cabo América 24, o mesmo que divulgou em primeira mão a história, o bispo admitiu que de fato esteve no México com a mulher, dois anos atrás – por uma coincidência.
A divulgação das fotos causou espanto na Igreja Católica argentina. Fernando María Bargalló, 57 anos, é muito respeitado no país – ele foi escolhido pela maioria de seus colegas para presidir a instituição Cáritas, que é a ONG mais respeitada da Argentina.
Anúncios