De acordo com o balanço da Coordernação-Geral de Imigração (CGig), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), em 2011, 70.524 profissionais estrangeiros foram autorizados a trabalhar no Brasil. A quantidade de autorizações foi 25,9% maior em relação às 56.006 concedidas em 2010. “Houve uma curva muito forte de crescimento a partir de 2009. E, das 66.000 autorizações temporárias em 2011, mais da metade é para pessoas de nível superior completo. Também tivemos uma elevação substancial de mestres e doutores”, diz Paulo Sérgio de Almeida, coordenador-geral de Imigração do MTE.
Segundo o ministério, os estrangeiros estão basicamente em  São Paulo, e as empresas que mais trouxeram funcionários de seu país de origem foram as japonesas, especialmente as montadoras de automóveis.

Além disso, nota-se um grande número de expatriados brasileiros que retornam dos países desenvolvidos, em plena crise aguda, há alguns anos em decadência. Ou seja, o Governo brasileiro deve ser pressionado pelos Orgãos internacionais para abrir seus melhores empregos para estrangeiros. Casamentos mistos proporcionam outra abertura legal para fazer do Brasil um refúgio ideal até para criminosos.