A América Latina vem experimentando boas taxas de crescimento e índices de emprego na recente década. A redemocratização da região tem atraído novos investimentos pois a baixa tensão entre seus povos ajuda na projeção pacífica.

Embora tenhamos uma maioria de cristãos, sabemos que grande parte são nominais. A Colonização e escravidão dos povos indígenas e africanos criou um débito espiritual com repercursões sociais. O resultado é o enraizamento cultural da violência e a militarização no seu enfrentamento.  Boa parte dos noticiários é tomada por casos policiais e seu acompanhamento. Filmes e novelas tem romantizado o cotidiano violento das cidades latino-americanas obtendo grandes índices de audiência e popularidade.

Muitos líderes e pastores evangélicos não compreendem a importância da aplicação das dimensões da missão integral em suas igrejas. Eles não entendem a relação entre a igreja local e sua extensão na sociedade. Em alguns países, um percentual similar ao da população evangélica ativa está fora da igreja.

O crescimento evangélico, particularmente pentecostal, tem auxiliado nas mudanças sociais mas ainda é muito restrito às camadas sociais mais pobres. Portanto, sua área de influência é grande em suas comunidades mas é pouco aproveitada pelos Orgãos governamentais. A corrupção é uma dessas barreiras que impedem a parceria entre ONGs cristãs e Governos. Muitos recursos são desviados em obras públicas ou destinados à ONGs não-religiosas. Há casos de uso de dinheiro público ou de empresas estatais para recuperação de templos de religiões em queda de assistência e desuso.

Anúncios