Hoje, ministrei aula sobre Atos, ministérios e movimentos na Escola Bíblica da IBCA. Foi uma benção. Senti a transferência de conhecimento fluir para a igreja. Ressaltei que é base para qualquer tomada de decisões.

O Quadro abaixo indica a sincronia dos eventos de Atos dos Apóstolos com as cartas de Paulo. A única correção devida foi que o período da igreja de Jerusalém encerra-se em Atos 6:1 pois Estevão e Filipe vão liderar a saída para fora de Jerusalém:

A segunda viagem missionária foi a mais estratégica e dramática pois iniciava após o Concílio de Jerusalém. Paulo escolhe um outro profeta, Silas, com formação grega. Paulo entrava nas sinagogas das cidades gregas, disputava com os judeus acerca do Messias e chamava os prosélitos ‘para fora’, isto é, formava a igreja ao interpretar o AT com mais exatidão.

O encontro das 2 culturas e a comparação do argumento monoteísta com a mitologia greco-romana foi goleada. Os próprios filósofos gregos eram ferozes críticos da mitologia que escravizava as pessoas. Os apóstolos, primeiramente, criaram o sistema de governo (pastores e diáconos). A seguir, criaram o sistema de ministérios.

Deixo um QUIZ sobre os personagens e os ministérios para você comentar:

#paracleto
#Missão integral
G/P
Jair