O líder do grupo libanês Hezbollah, o xeque Hassan Nasrallah, alertou que a queda do regime do presidente Bashar Assad na Síria dará espaço aos extremistas e jogará o Oriente Médio em um “período negro”. Em um discurso transmitido pela televisão, Nasrallah prometeu que seu grupo militante xiita não ficará parado enquanto o aliado sírio estiver sob ataque.

Esta é a primeira vez que Nasrallah admite publicamente que seus homens estão combatendo na Síria e é a primeira declaração dele desde que os integrantes do Hezbollah se envolveram na batalha pela cidade síria de Qusair, na fronteira com o Líbano. Nasrallah disse que os integrantes do Hezbollah estão lutando na Síria contra os extremistas islâmicos que impõem um risco para o Líbano e destacou que seu grupo não permitirá que os rebeldes sírios controlem áreas na fronteira libanesa.

O Hezbollah vem sendo criticado internamente e também no cenário internacional por enviar combatentes para a Síria para lutarem junto com as forças de Assad. Em seu discurso, Nasrallah tentou defender o envolvimento do grupo na guerra civil do país vizinho e disse que o conflito faz parte de uma batalha mais ampla contra Israel.

“A Síria é o suporte à resistência e a resistência não pode ficar de braços cruzados enquanto seu apoio está sendo atacado”, disse Nasrallah. “Se a Síria cair nas mãos da América, de Israel e dos takfiris, a resistência será sitiada e Israel entrará no Líbano e imporá sua vontade”, acrescentou. Takfiris são os adeptos de uma ideologia que insta os muçulmanos sunitas a matarem qualquer um que eles considerarem infieis. As informações são da Associated Press.

Anúncios