Os missionários, José Dilson da Silva e Zeneide Novaes, receberam a visita do senador Magno Malta acompanhado dos deputados federais, Paulo Freire e Roberta Fonseca. A comitiva esteve na carceragem de Mbour, na África para ouvir a versão dos missionários presbiterianos sobre as acusações que mantem ambos presos.

José Dilson e Zeneide Novaes foram presos no final de outubro, sob acusação de recolher menores de ruas sem autorização do governo do Senegal. Senador-evangelico-Magno-Malta-visita-missionários-presos-no-SenegalOs missionários, José Dilson da Silva e Zeneide Novaes, receberam a visita do senador Magno Malta acompanhado dos deputados federais, Paulo Freire e Roberta Fonseca. A comitiva esteve na carceragem de Mbour, na África para ouvir a versão dos missionários presbiterianos sobre as acusações que mantem ambos presos.

Os missionários são membros do projeto assistencial Obadias, que retira menores de ruas em total estado de pobreza. Por telefone, Malta revelou que não há nenhum crime que possa manter os brasileiros presos, mas uma negligência do advogado que não registrou devidamente o estatuto do projeto evangélico na África.

“É difícil segurar lagrimas. São inocentes presos no cumprimento de uma nobre missão de paz”, disse Magno.

Pastor José Dilson e a missionária Zeneide foram ouvidos na presença do diretor do presídio. Ambos negaram o ter convertido um menor de idade ao cristianismo. “Com absoluta certeza, a questão religiosa é o motivo principal da prisão, já que a denúncia foi feita por um pai mulçumano”, explicou Magno. Senador Malta também ficou estarrecido com as condições do presídio de Thiés, que tem capacidade para 400 presos e tem mais de 1200.

“Trata-se de uma crise política religiosa entre os Brasil e Senegal, mas a comitiva brasileira não deve colocar mais lenha na fogueira e buscar esperança no parlamento que será visitado nesta sexta-feira. A comoção entre os cristão em todo o mundo é grande e temos a responsabilidade de tirar os acusados da cadeia”, finalizou Magno Malta.

Segue o teor da recente carta enviada pelo missionário:

Queridos e mui preciosos irmãos,

Como sabem hoje dia 06 de fevereiro, estão fazendo 90 dias que estamos presos por causa da Palavra da Verdade, por causa do Caminho que seguimos e daquEle em quem cremos.

Temos certeza, porem que a nossa aflição neste tempo esta muito longe se comparadas as aflições que Jesus passou por nos. Bendizemos e louvamos ao Senhor porque estas singelas aflicoes tem servido para a salvação de vários prisioneiros, bem como temos testificado a muitos do Seu Senhorio sobre tudo e todos. Temos tido oportunidade de distribuir centenas de Bíblias, folhetos e Novos Testamentos. Ha muitas historias e experiências a contar. Sei que terei muito para compartilhar com cada um.

Já por 31 anos tenho compartilhado das boas novas do Evangelho, não só no Brasil, mas há 22 anos aqui em África. Agora este Procurador e Juiz me deram um novo público. Fui acorrentado (não literalmente mas preso juntamente com)a pessoas que eu jamais teria acesso a compartilhar-lhes em uma outra situação. E com certeza eu jamais escolheria estar aqui por minha livre e espontânea vontade. Porem, durante estes três meses aqui, tenho visto muitos experimentarem a nova vida e outros o estar duplamente livres(que alegria!!!). Oremos para que a Palavra pregada encontre guarida nestes corações sedentos, e que nem os “pássaros”, nem os “espinhos”, nem as “pedras”, façam esta semente ser destruída, mas sim que a seu tempo o Senhor possa dar o crescimento.

Nos dias mais angustiantes, o Senhor nos da forças (falo por mim, mas também pela Irmã Zeneide) para continuar encorajando, continuamos a orar, alimentar e vestir vários outros que passam por aflicoes ainda maiores que as nossas, com o agravante que não sabem a quem recorrer. O nosso consolo e que temos um Cristo algemado juntamente conosco (Ele e soberano e livre, no entanto me refiro ao fato dele estar presente conosco todos os dias e em todos os momentos) e me mostra isso de muitas maneiras, mesmo através do amor dos irmãos que vem de tão longe para nos visitar as segundas e sextas feiras, mesmo que seja apenas por 5-10 minutinhos.

Sinto Jesus me falando que esta comigo através de cada frase enviada, cada e-mail, cada palavra de encorajamento no facebook, cada oração, cada prato de comida ou guloseima enviado, cada contribuição manifestação de nos ajudar nas despesas gerais que estamos tendo, e mesmo a ajuda na construção da nova cela para ajudar outros presos para serem transferidos e aliviar seu sofrimento de não poder dormir (tenho 45 pessoas em minha cela e so tenho 30 cm de espaço para dormir – imaginem a cela do mesmo tamanho com 200 presos, e quase impossível imaginar o sofrimento destes homens).

Esse amor tem impactado toda a prisão e ate o tribunal, pois o juiz mencionou o fato de recebermos tantas visitas. Tem estado impressionado.

Tenho pedido ao Senhor que essas algemas sirvam de consolação para cada um que tem participado e orado por esta causa – que isto os ajude também a valorizar mais Jesus e sua presença em vossas vidas e que vocês possam usufruir muito mais do seu amor, presença e sua paz, que não depende das circunstancias. Façam conhecidos a cada um que se aproximem de vocês esse grande amor de Jesus, e sintam-se privilegiados por sofrerem por este Nome.

Posso afirmar que minhas prisões têm sido conhecidas desde o presidente da Republica até ao varredor de rua. Os jornais publicaram que eu e Zeneide somos uma « dupla diabólica », e por estar estampado nas paginas de dois grandes jornais do país, e nas rádios locais, passamos a ser odiados por toda a nação. Porém todos que têm tido contato conosco, sempre nos falam: « Vocês são pessoas de Deus », outros dizem: « Essa prisão nunca mais será a mesma depois da passagem de vocês por aqui »

Um após outro dentro de minha cela, aos poucos foi me conhecendo, ao compartilhar comida, frutas, medicamentos, todos ficaram impressionados e começavam a dizer: « Mas porque você faz isso? Você compartilha comigo? Você lembrou de mim ? »

No Natal pedi a Marli que comprasse uns pequenos presentinhos para poder dar a esses homens para dar aos seus filhinhos. Nem esposas, nem filhos podem esperar nada de seus pais presos. Não posso expressar a alegria que sentiram ao receber aqueles presentinhos. Que bom, que felicidade em poder compartilhar com aqueles que não têm.

Eu divido meu colchão de 30 cm de largura com um outro senhor. Nós tínhamos dois colchões, um por cima do outro, pois não ha espaço. Nosso colega da frente também tinha dois, no entanto ele estava sofrendo dores terríveis nas costas e não conseguia dormir, assim sendo me pediu um dos meus colchões. No mesmo momento me pus de pe e lhe dei o meu. Agora durmo com meu colega num colchão de 2,5 cm de altura, o outro está servindo ao meu outro colega, permitindo-lhe que durma melhor. Deus seja louvado!Tenho sentido o Senhor afofando meu colchão.

Houve dias que compartilhei da minha comida com 12 outros presos, e sabe do melhor : não perdi nenhum quilo. Dois prisioneiros italianos que foram libertos, ficaram tão agradecidos por toda a ajuda que lhes dei, todo encorajamento, as orações, que ao partirem me enviaram queijo, salame e outras guloseimas. Daqui a pouco 43 presos vão experimentar um pouco desta benção.

Estou compartilhando estes detalhes para te encorajar a não desanimar com coisa alguma. Não importa o tamanho da luta que você esteja enfrentando, saiba que Jesus esta com você, passando pela dificuldade, ate a hora da libertação. Busque-o, ame-o, gaste tempo com ele, seja intimo dele, e o sofrimento não será nada, Ele será tua ancora segura, a tua salvação, aquele que atua e trabalha pelos seus. Seu santo nome será glorificado !

O juiz quando estava me questionando finalmente disse : « Vocês não são associação de malfeitores – estamos juntos »Pois disse : vocês estão ajudando crianças em situação de risco. Quando ele ouviu as crianças ficou ainda mais impressionado com a mudança de vida que estamos proporcionando a cada uma delas. Um advogado falou: « Essas crianças vivem melhor do que a maioria de nos » e após me disse : « Você pastor, merecia ser condecorado pelo que faz em nosso meio e por estas crianças, nao estar na prisão ! » Esperamos que realmente a justiça e a verdade prevaleçam!

Essa prisão não pode me deter, nem pode deter meu Cristo e o seu Evangelho, ao contrario desperta em mim mais amor e paixão por esta obra e pelo meu Mestre. Tenho meu coração agradecido a todos vocês que de uma forma ou de outra, direta ou indiretamente estão aprisionados conosco. Obrigado mais uma vez por todo o carinho, orações e mesmo contribuições. Que o Senhor os bendiga e lembre também de suas aflicoes e os alivie de todo o sofrimento pelos quais possam estar passando ainda que por mínimo que seja, bem sei que Ele tem prazer em ajuda-lo. Recebam nosso abraço bem apertado. Que o nosso bom e maravilhoso Senhor os console e faça os sentir Sua presença convosco.

Orem pela sexta-feira (dia 09/02) quando um pai que pediu que seu filho pudesse ser beneficiado pelo projeto será ouvido. Também na segunda, dia 11 finalmente sera depositado o pedido de habeas corpus.

Pelas marcas de Cristo.

Vosso prisioneiro,

Rev. Jose Dilson ou “Zé”.