Uma matéria do jornal El País deste domingo evidencia uma disputa que se dá nos bastidores, mas que cada vez mais começa a ser mostrada publicamente. José Mourinho e Kaká possuem visões diferentes sobre o futuro. O técnico colocou o jogador para escanteio e o utiliza pouco desde janeiro. Kaká e pessoas próximas acreditam que foi uma estratégia para fazer com que o jogador pedisse para sair. Kaká não pediu. Ao contrário, manteve-se treinando, sorridente, sem demonstrar qualquer insatisfação.

Kaká acredita que se tivesse continuidade, voltaria a ser um dos grandes jogadores do mundo. Não teve. Ficou muitas vezes no banco, entrando apenas em momentos finais de jogo, com pouco a ganhar, mas muito a perder. Foi assim contra o Bayern Munique, na semifinal da Liga dos Campeões, quando o meia entrou nos minutos finais do jogo da eliminação dos merengues. Mas o brasileiro seguia sem demonstrar insatisfação e não queria pedir para sair. A revista ESPN mostrou que esse era o pensamento de Kaká em matéria na edição de junho.

Um dos jogadores do Real Madrid falou ao El País que “Mourinho o tratou como um inútil”. Mourinho acreditava que a pressão acabaria por fazer Kaká ficar sem moral e pedir para sair do clube. Ele não quis. Por recomendação dos seus assessores, mantinha-se inatingível. Não se fez de rogado e seguiu treinando, trabalhando e sorrindo. Sorrindo de um jeito que Mourinho não entendia.

Depois das férias, Mourinho fez uma reunião com Kaká e o representante do jogador, seu pai, Bosco Leite. Assistentes técnicos revelaram ao jornal espanhol que, no diálogo, Mourinho teria dito: “Não se dá conta que não conto com você?”. Kaká respondeu que não, com cara de surpresa. “Não pensa em fazer nada para relançar sua carreira?”. Foi quando o pai de Kaká interrompeu. “Se quer que ele vá embora, paga o que deve a ele”, reclamou Bosco. Foi então que Mourinho disse: “Se ficar, seu filho atrapalha o meu projeto”. Bosco, então, disse ao técnico: “Seu projeto… E o projeto de Jorge Mendes”.

Jorge Mendes é empresário de cinco jogadores do Real Madrid, além do próprio treinador português. Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Ricardo Carvalho, Pepe e Ángel Di María são agenciados pelo empresário.

Mourinho: de verídico, só o fato dele e da família terem passado férias no Quênia  (Foto: EFE)

O técnico José Mourinho negou que tenha se consultado com bruxos quenianos para trazersorte em sua empreitada no Real Madrid. A informação foi divulgada por uma agência de notícias. Por meio de seu assessor, o português afirmou ao jornal espanhol ‘As’ que a história foi inventada e que ele estuda meios legais para processar a empresa.

– É pena que uma agência de notícias como a AFP, que tem reconheciento de muitos anos, difundiu uma notícia totalmente inventada. E é lamentável que sigam sem nenhum tipo de confirmação – afirmou o porta-voz do treinador, Eladio Parames.

O assessor lembrou que Mourinho é católico, como demonstrou em uma visita recente à Virgem de Fátima. Porém, ele crê firmemente que o êxito chega através da força e do método de seu trabalho. A única verdade na nota é que Mourinho esteve em férias com a família no Quênia.