Os coptas representam 6 à 10 % dos cerca de 82 milhões de egípcios. A sua fraca representação política contribuiu para reforçar o seu patriarca como uma figura importante face a essa comunidade e as outras forças políticas do país.

A escolha do novo patriarca poderá durar vários meses. Segundo um regulamento de 1957, ele deve ser um copta egípcio, solteiro e com menos de 40 anos e deve também ter passado pelos menos 15 anos num mosteiro. Um conselho de mil e 500 pessoas participará na seleção do futuro patriarca.

Anúncios