A Petrobras concluiu em 06/02, através da sua subsidiária integral Petrobras International Finance Company (“PifCo”), a oferta de títulos no mercado de capitais internacional (Global Notes), o que resultou no recebimento de recursos no montante de US$ 7 bilhões. A operação, precificada no dia 01 de fevereiro de 2012, foi constituída pela emissão de títulos com vencimento em 2015 e 2017 e pela reabertura dos títulos com vencimento em 2021 e 2041.

No início de 2011, a Petrobras fez operação similar no montante de US$ 6 bilhões. Por isso, a sociedade deve contestar a pressão que a Empresa sofre para patrocinar Projetos Sociais e culturais com ligações suspeitas como o carnaval carioca.

A operação foi realizada em apenas um dia, tendo a demanda superado US$ 25 bilhões, resultante de mais de 1600 ordens originadas por mais de 700 investidores.  Essa emissão estabelece os seguintes recordes:

–  Maior oferta internacional de títulos do Brasil
– Maior emissão de dívida corporativa nos mercados emergentes nos últimos anos
– Menor custo para uma empresa brasileira no prazo de 03 e 05 anos
– Menor custo para o prazo de 10 anos já captado pela Petrobras
– Menor custo para o prazo de 30 anos de uma empresa brasileira.

A alocação final teve maior concentração nos Estados Unidos (58,4%), Europa (28,1%) e Ásia, sendo a maioria dedicada ao mercado de renda fixa de empresas com grau de investimento.

O sucesso da transação indica a confiança dos investidores com os fundamentos da companhia, sua estratégia de crescimento e com o compromisso de manutenção do grau de investimento, indicado pelo monitoramento das metas dos indicadores de endividamento e expressiva geração de caixa.  Adicionalmente, a transação está alinhada com a estratégia de captação anunciada pela companhia, de acessar o mercado em momentos pontuais e nos volumes requeridos para o financiamento dos investimentos definidos no Plano de Negócios.