A Prefeitura do RJ tem fortalecido os donos de ônibus que tinham perdido poder em gestões passadas. Isso é um perigo para o povo do Rio.

O Secretário de Conservação prometeu ano passado, não ter mais problemas com enchentes. O Sistema de Monitoramento apresentou ruas alagadas como liberadas. Sabemos agora que as obras na Pça da Bandeira nem começaram.

Preocupa também o endividamento das cidades-sede da Copa de 2014, liberadas pelo Governo Federal. Uma irresponsabilidade anunciada.

Com muita verba de propaganda, os Governos se revezam nas explicações das tragédias para confundir a população. Ontem, foi o governador que apareceu para explicar o atraso nas obras municipais. Após o massacre da Escola municipal de Realengo quem apareceu foi Sergio Cortes. Cabral e Beltrame sabem que o problema é de segurança nas escolas municipais e estaduais. Na tragédia da região serrana quem atuou foi o vice-governador.