Em 1889, no final da monarquia no Brasil, havia apenas 700 sacerdotes e 12 dioceses para uma população 14 milhões. No Brasil, em 1930 havia cerca de 2.000 sacerdotes para uma população de 30 milhões de pessoas.

Em outubro de 1882 foi organizada a primeira igreja batista em Salvador. A Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro tinha 89 membros na proclamação da República em 15 de novembro de 1889.
Em 1868 a igreja congregacional do médico escocês Robert Kalley já tinha 360 membros, a maioria brasileiros. Entre 1855 e 1866 ele publicou 35 artigos no Correio Mercantil. Depois de 1864 começou a publicar artigos no Jornal do Comércio. A primeira igreja presbiteriana foi organizada no Rio em 1862 por Ashbel Green Simonton. No Rio, 4 anos após, a igreja possuía 60 membros.

Um homem influenciado pelo reavivamento da Rua Azusa foi o William Durham, Pastor da Missão da Avenida Norte em Chicago, Illinois.

  • Luigi Francescon, italiano fundador da igreja Congregação Cristã do Brasil em 1910, foi influenciado por Durham, recebendo o dom da glossolalia em 1907. Começou sua tarefa de evangelização em uma colônia italiana em São Paulo.
  • Já os suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, também discípulos de Durham, foram os fundadores da igreja Assembléia de Deus em Belém do Pará, com mais de 20 milhões de membros.
  • Willis Hoover estudou medicina em Chicago, mas o ofício de médico não o satisfez. Então ele aprendeu a falar bem o espanhol e, em 1902, tornou-se pastor da igreja metodista em Valparaíso, Chile. Em 1907 a senhora Hoover recebeu um panfleto sobre “o batismo do Espírito Santo e fogo” escrito por Minnie Abrams, que fora aluna da Chicago Training School [Escola de Treinamento de Chicago] na mesma época que ela. Hoover procurou saber mais sobre o início do reavivamento pentecostal e se correspondeu com, entre outros, T. B. Barratt, o polêmico evangelista metodista em Oslo que mais tarde viria a ser o “apóstolo pentecostal” para toda a Europa. Hoover foi expulso da igreja metodista chilena e fundou a igreja que se tornaria a maior denominação do Chile. Para muitos estudiosos, o início do Pentecostalismo na América Latina.

O catolicismo é endêmico em toda a América Latina. Provavelmente 80 a 90% das pessoas, se perguntadas, responderiam que são católicas.

  • Em 12 anos após o Vaticano II o clero religioso somente aumentou de 8.194, em 1968, para 8.715 (6,4%) em 1980, muito embora a população total tenha aumentado em 32 milhões de pessoas (35,5%) no mesmo período.
  • A constituição mexicana de 1824 obrigava o estado a proteger o catolicismo, proibindo a prática de qualquer religião.

O crescimento pentecostal no Brasil acelerou-se tremendamente nas três últimas décadas. Como um todo, os evangélicos no Brasil se multiplicaram, em termos de membros comungantes, numa taxa de 72% nos anos 60 e de 168% nos anos 70.
Somente no Brasil, no fim dos anos 60, havia 84 escolas teológicas, 38 eram seminários e 46 institutos bíblicos. A matrícula total nessas escolas era de 3.791 em 1969.

Desde os anos 50, o Pentecostalismo tem crescido em taxas surpreendentes. Em 1980, os Pentecostais representavam 3% da população brasileira. Em 1993 somavam 10% do total (Freston, 1993).
De acordo com Paul Freston (1994), a introdução do Pentecostalismo no Brasil ocorreu em 3 ondas sucessivas, cada uma com suas marcas teológicas, eclesiásticas, sociais e culturais.

  • A primeira onda iniciou com a chegada dos EUA da Congregação Cristã, em 1910, e das Assembléias de Deus em 1911.
  • A segunda onda iniciou nos anos 50 e 60 com a fragmentação da igreja Pentecostal e o surgimento de novas denominações.
  • O mais importante exemplo da terceira onda é a Igreja Universal do Reino de Deus. Fundada no final dos anos 70 a IURD experimentou forte crescimento durante a década de 80. Ela enfatiza o confronto com os cultos afros e ressalta a doutrina da Prosperidade.