Howard Snyder, autor de Vinho novo e odres novos, diz que “… a igreja do Novo Testamento vive uma vida de adoração, comunhão e testemunho. Essas funções são indicadas até certo ponto pelas palavras neo-testamentárias tais como leitourgia (“culto” ou “adoração”, de onde vem a palavra “liturgia”), koinonia (“comunhão” ou “compartilhamento”) e martyria (“testemunho” ou “depoimento”, de onde vem a palavra “mártir”). A igreja é uma comunidade ou uma fraternidade de vida compartilhada, uma koinonia. A igreja dá testemunho do que Deus fez em Jesus Cristo e em sua própria experiência, mesmo que o seu testemunho (martyria) possa levá-la ao martírio. Acima de tudo, a igreja desempenha o serviço de adoração (leitourgia) a Deus, não somente por meio de atos de adoração, mas mediante uma vida de louvor a Deus. A igreja como uma contínua doxologia.

 

 Segundo o modelo ao lado, chamado por Snyder como a “ecologia da vida da igreja”, os elementos-chave no testemunho da igreja são evangelização, serviço e justiça. Para ele, “[…] Na ecologia bíblica, a evangelização e o serviço combinam com o testemunho profético da igreja a favor da justiça, renovando a sociedade e apontando de maneira genuína para o Reino.

Ele também classifica a disciplina, a santificação e os dons espirituais como constituintes da ecologia da vida comunitária da igreja. “O propósito de seu funcionamento conjunto é a edificação da família de Deus de modo que ela possa de fato viver ‘para louvor da glória de sua graça’ (Ef 1.6)”

 Snyder declara: “A adoração liberta a igreja para o Reino. Louvamos a Deus não só pelo que Ele tem feito; mas também por aquilo que Ele irá fazer. Pela fé, antecipamos e celebramos o dia em gue iremos cantar: o reino.do mundo se tornou de nosso Senhor e do Seu Cristo (Ap 11.15). “Na adoração, celebramos a economia de Deus (oikonomia) e o Seu Reino.” Ele identifica a instrução como parte da adoração ao envolver a igreja no ato de ouvir a voz de Deus mediante a Palavra lida, ensinada ou falada de alguma outra. “Na adoração, os movimentos de celebração e instrução são movimentos do Espírito e da Palavra.”