O verão quente e chuvoso na maior parte do Brasil trouxe consequências para o quadro epidemiológico da dengue. Em 12 dos 27 Estados do país houve aumento no número de casos registrados da doença, segundo dados fornecidos pelo Ministério da Saúde até o dia 6 de março. As maiores altas ocorreram em São Paulo e no Mato Grosso, onde os casos registrados nos primeiros três meses do ano foram 12 vezes maiores que os do mesmo período do ano passado.
Apesar disso alguns Estados, principalmente das regiões Norte e Nordeste, tiveram bons resultados, com quedas de quase 90% na mesma base de comparação. No geral do país, a alta é de 72% no primeiro trimestre.

Coincidentemente, São Paulo e Mato Grosso são governados pela oposição ao Governo Federal. Em outros anos, o Rio de Janeiro era o alvo. Uma covardia.

De 1998 a 2002 (anos de eleições), os mapas da incidência da dengue eram:

Em 2008, a incidência aumentou no interior do país devido ao volume de chuvas:

É uma irresponsabilidade manipular os dados da área de saúde para fins eleitorais. Realmente, nos aproximamos de uma ditadura de esquerda a partir do controle da Mídia.

A dengue é a arbovirose mais comum que atinge o homem. A dengue é endêmica no sudeste asiático e tem originado epidemias em várias partes da região tropical, em intervalos de 10 a 40 anos.

Os casos de dengue no estado do Rio de Janeiro quase dobraram até agora em relação a todo ano de 2009. O aumento se deve à volta do vírus tipo 1 e da infestação do tipo 2 em municípios que ainda não tinham registrado a doença nos últimos dois anos, disse hoje (27) o superintende de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Saúde, Alexandre Chieppe. De janeiro a junho foram 21.346 casos, com 31 mortes. Em 2009, foram 12.403 infectados e 12 pessoas morreram.

Anúncios