Em 2050, estima-se que haverá 200 milhões de refugiados ambientais. O principal estopim desses conflitos será a escassez de água. Nos próximos 15 anos, a temperatura média poderá aumentar em 2ºC. Além disso, a demanda por alimentos deve aumentar 50% até 2030. São tempos de ‘vacas magras’ que se aproximam. Mas Deus providenciou um escape se o Brasil assumir sua posição diante de Deus e do mundo.

Em 2030, estima-se que a população brasileira chegará ao pico de 207 milhões (apenas 17 milhões além do contingente atual). Então, passará a encolher.
O envelhecimento da população brasileira tem sido acelerado, muito mais que o registrado na Europa. Em 1960, as brasileiras tinham em média 6 filhos. O IBGE projetava que a média de dois filhos fosse atingida apenas em 2016, em vez de 2005, como ocorreu.
Durante o período desse bônus demográfico, a força de trabalho crescerá mais rapidamente que a população dependente, o que é bom. Hoje, 67 de cada 100 brasileiros estão em idade produtiva. A boa notícia é que essa janela de oportunidade deve perdurar nas próximas 4 décadas.
A Coréia do Sul viveu seu bônus demográfico entre 1965 e 1990. A Coréia dedicou, nesse período, 10% do PIB ao setor educacional. O resultado foi uma aumento de 15 vezes no número de pessoas com ensino superior na década de 70.
100 brasileiros em idade produtiva sustentam hoje 46 crianças ou idosos. Eram 72 dependentes há 30 anos. Essa redução impulsiona a produtividade e a economia do país.
A aplicação destes recursos deve ser ágil e responsável. Pelas projeções do IBGE, em 2050, um em cada três brasileiros terá mais de 55 anos de idade. Uma população envelhecida significará mais gastos para o Estado.

#paracleto

#Dinheiro e coração

G/P

Jair

Anúncios