Dedicar alguns minutos depois do almoço para tirar um cochilo ajuda a melhorar a performance intelectual na parte da tarde. É o que mostra um estudo coordenado por Matthew Walker, professor de psicologia da Universidade da Califórnia. Segundo o autor, a capacidade de o cérebro absorver informação não é estável ao longo do dia. A área que armazena memórias pode ficar “entupida” com o passar das horas, assim como ocorre com a caixa de e-mail de um computador. A soneca ajuda a limpar esse excesso de informações.

Os resultados da pesquisa foram apresentados na reunião anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, em San Diego. Walker afirma que o breve repouso por volta do meio-dia abre espaço para novas informações. Em seu estudo, Walker e seus colegas deram a 39 adultos jovens saudáveis, com idade média de 21 anos, uma difícil tarefa de aprendizagem. O objetivo era exigir o máximo do hipocampo, área do cérebro que ajuda a guardar memórias baseadas em fatos. O teste usou cem pares de nomes que deveriam ser combinados e foi iniciado ao meio-dia. Por volta das 14h, um grupo foi liberado para cochilar por 90 minutos, e o outro permaneceu acordado. Às 18h o teste foi repetido e as pessoas que não fizeram sesta tiveram uma ligeira redução, de cerca de 10%, em sua capacidade de aprendizagem durante o dia.

Quanto maior a quantidade de fase dois do sono (são cinco), não REM (em que ocorrem os sonhos), melhor o desempenho nos testes. – Provavelmente o que acontece é que o hipocampo é o caminho de curto prazo para a memória no cérebro – diz Walker. – Essa área é boa para segurar as informações recebidas, mas em algum momento, precisa fazer o download para o córtex pré-frontal – diz Walker.

O termo power nap foi cunhado por James Maas (professor de psicologia na Cornell University) no livro Power Sleep, onde afastava a sesta da sua associação à indolência e a legitimava, considerando-a positiva para qualquer pessoa com uma vida muito activa.

Para que servem as power naps? As sestas têm sido objecto do estudo científico há décadas, e, apesar de um ou outro ponto ser mais controverso, já existem provas sólidas dos seguintes benefícios:

  • Menos stress
  • Aumento do estado de alerta e da produtividade
  • Melhoria da memória e da capacidade de aprendizagem
  • Melhor coração
  • Aumento do funcionamento cognitivo
  • Maior motivação para o exercício
  • Aumento da criatividade
  • Minimizar dos efeitos das insónias
  • Protecção contra estados de sonolência
  • Melhor saúde em geral

Uma pesquisa feita em 2008, pela National Sleep Foundation, revelou que quase um terço dos adultos que trabalham pelo menos 30 horas por semana dormiu ou ficou extremamente sonolento no trabalho. Em certas empresas, há salas especiais para o pessoal dormir. Já a Google tem poltronas especiais que bloqueiam luz e som. Segundo essas empresas, esses “nap pods” são extensões da política de horário flexível.

Robert Stickgold, no artigo O jeito mais simples de reiniciar o cérebro, publicado na Harvard Business Review, em outubro de 2009, comenta: “Um cochilo de 30 minutos pode deter o cansaço. Já 60 a 90 minutos que incluem sono REM vão melhorar a discriminação visual…Na fase inicial do sono, o cérebro parece estar “etiquetando” a memória de problemas para posterior processamento.” Ao final do artigo, ele sugere às empresas que, diante dos milhões gastos em programas para aumentar a produtividade, permitam um cochilinhopois é bom para produtividade.

#paracleto
#Dinheiro e coração
G/P
Jair

Anúncios