1. Alimento espiritual genuíno e sadio que só pode ser obtido pelo estudo claro, continuado e progressivo da Palavra de Deus;
2. Crescimento e desenvolvimento pessoal através do estudo da Palavra de Deus;
3. Cumprimento dos objetivos da igreja do Senhor, pois os objetivos da EBCA são os mesmos da igreja;
4. Aquisição de qualidade bíblica e espiritual permanente;
5. Desempenho melhor das atividades da obra de Deus pela conquista de uma fé mais robusta e madura;
6. Desenvolvimento do caráter cristão por meio de uma vida espiritual;
7. Aprendizado sobre evangelização e amor além de cooperação com a obra missionária;
8. Oportunidade ilimitada para servir ao Senhor pois a Escola Bíblica é o lugar para a descoberta, motivação e treinamento de novos talentos;
9. Fortalecimento dos relacionamentos:
entre pais e filhos;
na vida conjugal;
comunhão entre os demais irmãos da igreja.
10.Fonte de avivamento pois onde a Palavra de Deus é ensinada e praticada o avivamento acontece.

Angelo Gagliardi: “…. o livro texto básico deve ser a Bíblia, cada vez mais dela e menos sobre ela.”

Lécio Dornas “… a aplicação é a parte mais importante da aula, do ponto de vista da utilidade para a vida do aluno.”

Ray Johnston aconselha : “Escutar é um ótimo meio de comunicar”

Elton de Oliveira Nunes, no artigo Desafios e Alternativas para a Práxis Educacional Religiosa na Atualidade escreve:
A Educação Religiosa como proponente educacional da igreja foi se tornando obsoleta, dispendiosa e, aos poucos, o culto foi tomando o lugar privilegiado da educação na igreja… Quando veio para o Brasil, através dos missionários, a escola dominical era um instrumento de evangelização e doutrinamento(ênfase no professor e no conteúdo). Especificamente, na denominação batista, as crises justamente nas instituições educacionais foram mais intensas;

Segue abaixo o gráfico de matrículas e presenças nas classes da EBD da IBCA de 2001 a 2005. Se comparado com o gráfico de crescimento da IBCA, fica evidente que ela contribuiu para o crescimento da igreja. Ou seja, a dimensão KERYGMA possui uma componente didática que não pode ser subestimada.

Ken Hemphill, no livro REDESCOBRINDO A ALEGRIA DAS MANHÃS DE DOMINGO, cita o pesquisador Geoge Barna sobre o declínio do crescimento dos grupos pequenos:
“… A queda na participação do grupo pequeno pode ser devida à tendência para o ensino de qualidade inferior, confusão de propósito, falta de liderança e motivos práticos como falta de facilidade para o trabalho com as crianças.”
Hemphill cita que nas igrejas batistas do sul dos EUA, 50% dos adultos participam da Escola Dominical comparando ao número de Robert Logan, segundo o qual a freqüência no estudo bíblico nas casas é menor que 25%.

#paracleto
#Missão integral
G/P
Jair