Gênesis 8:22 Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão.
Este trecho da Escritura foi citado por um dos meus colegas de trabalho, na sua tese de doutorado sobre mudanças climáticas. A princípio, parece que o mundo está à beira do caos. Mas a Palavra de Deus tem resposta de esperança para a humanidade.

Analisando nossos hábitos, concordamos que hábitos e materiais precisam ser substituídos a fim de não agredir o meio ambiente. O que se discute, porém, é quanto ao freio imposto aos países em desenvolvimento. Justamente, num bom momento de crescimento. Soa como uma forma de controle por parte dos países desenvolvidos que estão muito à frente no desenvolvimento de novos materiais e soluções energéticas.

O professor Luiz Carlos Molion é Pós-doutor em meteorologia formado na Inglaterra e nos Estados Unidos contradiz a tese de aquecimento global: “…é provável que nós já estejamos dentro de uma nova era glacial”. Veja a impressionante foto da Grã-Bretanha neste último inverno:

Molion lembra que em 1987, sob liderança da Margaret Thatcher, fizeram uma reunião em Montreal de onde saiu um protocolo que obrigava os países subdesenvolvidos a eliminar os CFCs. O Brasil assinou. Depois, ficamos sabendo que assinou porque foi uma das condições impostas pelo FMI para renovar a dívida externa brasileira.

Ele critica a tese, desde a Rio-Eco 92, e particularmente os dados usados sobre os efeitos do CO2: “… O IPCC, o nome já diz, é constituído de pessoas que são designadas por seus governos. Os representantes do G-7 não vão aleatoriamente. Vão defender os interesses de seus governos…” Molion lembra também o efeito dos oceanos na regulação da temperatura global.

Estudo publicado na Scientifican American calcula que 1 kg de gás metano aquece a terra 23 vezes mais do que 1 kg de CO2. Comprovaram que plantas geram metano. Isto é, mais florestas também significa mais metano na atmosfera. Além disso, os rebanhos produtores de carne contribuem com 20% do total de emissões de metano.

Também parece inegável o derretimento do Ártico conforme gráfico abaixo. Há relatórios desde 1970, porém, que demonstram que o bloco da Antártica está aumentando 100 mil km2 por década. Ela possui 90% do gelo do planeta e 80% da água doce.

O fato é que somos bombardeados com notícias continuadas sobre o aquecimento global. Parece que todos concordam que estamos convivendo com mais extremos. Este sim, parece que é o ponto central. O planeta trabalha para acomodar o desenvolvimento humano e as respostas climáticas provocam desastres. Quando o apóstolo João viu um novo céu e uma nova terra, o que exatamente ele viu? Quem sabe uma terra renovada pelo reino do Messias. Porque por Ele e para Ele foram feitas todas as coisas.

#paracleto
#Missões no Mundo
G/P
Jair